domingo, 1 de janeiro de 2017

Vale a pena pagar mais caro por um cabeamento categoria 6?

Qual a opção de tecnologia adequada para um projeto de cabeamento estruturado: 5e ou 6?

Um cabeamento recebe indicação de qualidade através de seu categoria, indicando a sua capacidade. Essa categoria é abreviado pela palavra cat (ao invés de ficar escrevendo categoria 5e, escrevemos apenas cat 5e).

Essa indicação de categoria não é apenas do cabo, é de todos os componentes que se conectam: cabo, conectores e tomadas. Além disso a instalação precisa ser feita adequadamente, para garantir que o cabeamento funcione como esperado. Por isso tudo existe a etapa de certificação da rede onde um equipamento é usado para testar cada ponto de rede, de forma a garantir que os materiais e serviços estão de acordo.

Mas vale a pena gastar em cat 6 (e superior)?

Falando de maneira simples, a tecnologia de cabeamento estruturado cat 5e chega a até 1Mbps e distâncias de até 100m, um cabeamento cat 6 (e superior) chegam a velocidades de 10Gbps e distâncias de até 100m. Na verdade o cat 6 chega a 1Gbp em 100m e 10Gbps em até 55m de cabo. O cat 6a chega a 10Gbp em 100m.

Além disso existe um problema em um cabeamento que é a interferência entre os fios, o chamado cross-talk. Quantos mais cabos passando junto no mesmo lugar, mas cross-talk. Um sistema com muito cross-talk (interferência entre os cabos) acaba tendo problema de perdas de pacote, o que causa atrasos nas comunicações.

Quando um usuário envia um e-mail, baixa um arquivo ou acessa uma página web esses atrasos não são significativos (a não ser em casos muito extremos), mas em aplicações de telefonia IP ou videoconferência isso pode se tornar um problema.

Vale lembrar que essa interferência é pior quando se aumenta a velocidade e a distância dos cabos: em 10Gbps a 100m qualquer cross-talk já causa problemas, já em 100Mbps a 20m dificilmente haverá problemas. Por essa razão que até hoje muitos fabricantes de telefones IP e sistemas de conferência fazem equipamentos com porta Ethernet 100M: para evitar que o equipamento (que não precisa de tanta banda) se conecte em 1Gbps.

Preciso de 10Gbps?

Em um data center ou quando você está conectando servidores, provavelmente precisa (ou vai precisar no futuro). Também para usuários especiais, como profissionais de engenharia (que usam muito CAD e BIM) ou de criação gráfica (que trabalham com vídeos e muitas imagens) a demanda de banda é grande.

Na interconexão entre switches (no caso de redes onde temos switches distribuídos) também temos uma demanda por conexões 10Gbps, afinal do que adianta conectarmos vários usuários em 1Gbps se a conexão com o backbone também for de 1Gbps?

Outra conexão que pode necessitar de 10Gbps são os pontos de acesso wireless. Hoje em dia um ponto de acesso com vários rádios de tecnologia 802.11ac podendo eventualmente chegar a mais de 1Gbps de banda. No entanto é importante salientar que hoje esse tipo de situação é rara, já que a grande maioria dos pontos de acesso 802.11ac (não vamos entrar em detalhes aqui) não conseguem chegar perto dessa capacidade. Então o cabeamento pode se tornar um gargalo para os pontos de acesso (principalmente no futuro).

Porém para a grande maioria dos usuários, a realidade é outra. Para os usuários convencionais, diretores, vendedores, secretárias, gestores, etc, a conexão de 1Gbps é mais que suficiente.

E o futuro?

Essa é uma questão importante: será que no futuro a demanda dos usuários vai chegar a 10Gbps? Será que daqui alguns anos haverá aplicações que vão demandar 10Gbps mesmo para os usuários convencionais? É sempre difícil prever o futuro, mas provavelmente a resposta é "não".

Isso porque cada vez mais a tendência é termos aplicações na nuvem, ou seja, tudo vai estar na Internet e o gargalo vai ser a conexão com a Internet.

Então o primeiro problema sera a conexão da empresa com a Internet. Mesmo que no futuro a empresa tenha uma conexão de 10Gbps com a Internet, se tivermos 100 usuários em uma empresa conectada a 10Gbps, dificilmente um usuário vai conseguir mais de 1Gpbs dessa conexão.

Além disso as aplicações estão sendo otimizadas para consumir menos banda (e não mais banda).

Por último precisamos pensar na vida útil da rede. Um cabeamento hoje em dia tem vida útil de 20 anos ou mais, porém será que a vida útil de escritório vai ser isso tudo? Será quem 5 a 10 anos não haverá uma grande reforma (ou mudança) onde todo esse cabeamento será jogado fora?

Resumo

Uma estrutura de cabeamento cat 6 (ou cat 6a) realmente custa bem mais que cat 5e, porém essa diferença vem caindo a cada dia. Mas isso infelizmente não é suficiente para termos uma resposta clara sobre qual tecnologia você deve adotar hoje.

Normalmente em redes menores (até 100 usuários por exemplo), onde não temos muitos cabos sendo passados em paralelo (menos chance de cross-talk) e com usuários convencionais, uma rede cat 5e deve ser o suficiente para um período de 5 anos.

Já para redes maiores, ou redes que tenham as situações descritas acima, vale a pena gastar um pouco mais com pelo menos cat 6.

Compartilhe

Se você achou útil este artigo, por favor compartilhe utilizando os botões do Twitter, Facebook e Google+ para que outros possam ter acesso.

Postar um comentário